Raja Yoga - Suddha Dharma Mandalam - Ashrama Subramaniananda - Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil

Raja Yoga - Laya Yoga

Laya Yoga - Auto-cura

Preparação físico psicológica para restabelecer a saúde nas pessoas com problemas de natureza mental e física

Treinamento para o equilíbrio físico-psíquico


Para cada nova iniciativa em nossa vida, seja de natureza física ou mental, é necessário, em primeiro lugar, o conhecimento daquilo que pretendemos; em segundo lugar, é importante estarmos motivados, ou seja, estarmos realmente com vontade ou desejo para realizá-lo; o passo imediato é colocar o nosso plano em ação. Conhecimento, Vontade e Ação são os três componentes básicos e eternos para realizarmos qualquer coisa no mundo, seja para os aspectos materiais, mentais ou espirituais. Quando estes três componentes são aplicados de forma correta, realizamos uma obra e a isto chamamos de Síntese ou Yoga, como tecnicamente ensinam os Mestres. Se fizermos uma reflexão, verificamos que nenhum objetivo, sutil ou material, desde as coisas mais banais até as mais elevadas, pode ser realizado sem se observar essa seqüência.

Consequentemente, Yoga é Vida.

Existe um sistema específico, com técnicas simples e acessíveis a qualquer pessoa, mas de comprovada eficácia em seus resultados, que visa harmonizar o corpo e a mente. Não obstante as origens da Laya-Yoga (nome em sânscrito do método, que significa "união com a quietude; repouso; atenção contemplativa") perdem-se nas brumas de um passado longínquo, sua prática e efeitos estão sempre atualizados.

Dr. Schultz, médico alemão, estudou-a profundamente no começo deste século e, após inúmeras observações e experiências, criou o conhecido método Autógeno de auto-cura, baseado na Laya-Yoga. Posteriormente, na França, essas mesmas experiências foram realizadas com êxito por Louis Emile Cuiyet. Nos dias atuais, esta técnica está disseminada em todos os países, às vezes, com as naturais idiossincrasias de cada pesquisador, mas sempre com suas raízes na Laya-Yoga.

Basicamente, o método consiste em práticas suaves de relaxamento, técnicas de respiração com palavras de auto-confiança e auto-sugestão. O grande objetivo da Laya-Yoga é eliminar as gravações negativas e doentias de nossa mente e subconsciente e gravar pensamentos e imagens positivas de saúde, alegria e paz. Nós somos o que pensamos, dizem os tratadistas espiritualistas. Achamos oportuno agora fazer uma curiosa comparação.

Imaginemos o ser humano como se fosse um computador. Nós sabemos que essa maravilha da tecnologia moderna dispõe de memória e grava os dados ou informações e podemos, sempre que o quisermos, lançar mão de qualquer programa previamente gravado. Nosso subconsciente é o nosso banco de dados. Desejos, sentimentos, aspirações, conhecimentos científicos, arte, religião, filosofia, ética, amor, etc. - tudo se encontra gravado em nosso ser profundo. Mas, infelizmente, nem sempre eles estão corretos e nem sempre são verdadeiros; dessa forma, esses programas se manifestam espontaneamente em nossos estados de vigília, quando nos levantamos todas as manhãs, produzindo seus efeitos bons (se se encontram em harmonia com o Cosmo) ou maus (se estiverem desarmônicos). É imperioso, portanto, reprogramar as gravações negativas e erradas, substituindo-as pelas corretas e positivas. Essa é exatamente a grande finalidade da Laya-Yoga: lançar em nosso subconsciente aquilo que pode nos proporcionar alegria, saúde, prosperidade, paz e felicidade.

Partindo do pressuposto ou da verdade de que a mente é o veículo da personalidade humana "mais sutil e mais poderoso que os sentidos e o corpo" (Bhagavad Gita, V-25), podemos, por meio do reto pensar, realizar extraordinárias curas físicas ou psíquicas, em nós próprios.

Em mais de 25 anos de observação e experiências, durante os quais entregamos este método a centenas de pessoas para que realizassem nelas próprias o processo de auto-cura, pudemos não só testemunhar como afirmar categoricamente sua comprovada eficácia, quando as prescrições são efetivamente praticadas.

O ciclo da prática, normalmente, é de 90 dias, mas dependendo da natureza e intensidade da desarmonia, o processo de auto-cura pode sofrer variações para mais ou menos.

Tristezas, traumas, angústias, depressões, fobias de todas as naturezas, recalques, ódios, ressentimentos etc. podem ser eliminados pela intensa prática de Laya-Yoga; verificamos, também, curas de natureza física, mas essas demandam um tempo mais longo de exercícios.

Até algumas décadas atrás, nem leigos nem especialistas acreditavam que a mente pudesse exercer um verdadeiro poder de cura nos órgãos físicos doentes. Hoje, nem todos os médicos pensam assim.

Edward Bach, médico inglês, pai da medicina floral, é um dos defensores da total influência da mente sobre o corpo. Após anos de estudos das essências florais, pesquisas laboratoriais e observância dos efeitos de seus remédios em seus clientes, ele formulou sua doutrina científica, na Inglaterra, há cerca de 50 anos e hoje ela é de aplicação em quase todos os países. Referida ciência é, a nosso ver, uma forma sofisticada da Homeopatia de Samuel Hahnemann (1755-1843). Bach, em suas obras, define que as origens das doenças está no desequilíbrio do ser em seu relacionamento com o Cosmo, e suas causas imediatas seriam o desconhecimento do ser e da realidade de si mesmo, a ausência de amor e a ignorância do correto atuar no mundo e com o próximo; sua ciência busca eliminar as doenças físicas e mentais em suas raízes, pela transformação moral do homem, enquanto a ciência médica ortodoxa está mais voltada para a pesquisa da doença em si mesma e a cura pelos seus efeitos.

Com essas considerações, passemos agora para a PRÁTICA DA LAYA-YOGA (auto-cura)

Adaptação feita por Sérgio Fonseca Baptista Barretto, membro da SUDDHA DHARMA MANDALAM desde 1965 e consagrado Gnana Dhatha Instrutor, pelos Mestres da Organização em 1981.

>>> PRÁTICA DA LAYA-YOGA (auto-cura)
Suddha Dharma Mandalam - Ashrama Subramaniananda - Ribeirão Preto /SP Brasil